tercedeiras de anjos

    Compartilhe
    avatar
    Raphael Josino
    Vampiro
    Vampiro

    Mensagens : 151
    Data de inscrição : 01/11/2012
    Localização : Miranda Vale,Rio de Janeiro

    tercedeiras de anjos

    Mensagem por Raphael Josino em Dom Nov 11, 2012 3:24 pm

    Tanto nas célebres obras do escritor Eça de Queiróz como na recente novela Lado a Lado, da Rede Globo, existem menções sobre as tecedeiras de anjos, que eram mulheres que sumiam com os bebês assim que nasciam e que, geralmente, estavam relacionadas à magia negra. Nestas situações elas eram apelidadas de tecedeiras de anjos, pois reza a lenda que todo o recém-nascido que desaparece ou é assassinado vira anjo. Porém, pouca gente sabe sobre a origem destas tecedeiras de anjos, que começou na antiga Grécia. Muitas vezes quando um imperador ou político importante tinha um filho bastardo, ele pedia para que uma tecedeira de anjo sumisse com este bebê assim que nascesse. Mas, foi na Idade Média que a ligação entre as tecedeiras de anjos e a bruxaria acentuou-se. Naquela época, era comum que as bruxas realizassem feitiços, principalmente os que prometiam atrair riqueza para famílias falidas, através de rituais que continham sacrifícios de recém-nascidos. Então, alguns nobres, quando queriam dar sumiço a algum bebê logo contratavam as tecedeiras de anjos, que por fim, usavam as crianças em seus rituais. Leremos abaixo, a lenda mais comum sobre estas bruxas: Na Europa medieval, havia uma rainha em que o reino estava indo à falência. Então, no desespero, esta monarca procurou uma feiticeira que vivia na floreta atrás de uma magia para recuperar a riqueza. A bruxa disse que poderia realizar o feitiço, mas teria que matar um recém-nascido num ritual e que ela mesma faria conta de arrumar a criança. Assim, a megera procurou mulheres em trabalho de parto e nenéns recém-nascidos em diversas vilas da região, mas não achou nenhum. Até que pelo caminho avistou um acampamento cigano, onde havia uma cigana grávida de nove meses. Assim, esta tecedeira de anjo passou a espiar aquele acampamento todos os dias. Até que notou o choro de uma criança recém-nascida. A bruxa esperou a noite chegar e percebeu que os ciganos armaram uma grande festa. Deste jeito, a malvada aproveitou-se da distração das pessoas e roubou o neném, que estava calçando sapatinhos vermelhos de lã. No dia seguinte, a tecedeira de anjos e a rainha se reuniram para o ritual de sacrifício. Desta maneira, a bruxa apontou a faca para o peito do bebê, que ainda estava calçando sapatinhos vermelhos. Mas, de repente, a feiticeira teve um ataque cardíaco e caiu dura no chão. Naquele instante, a rainha escutou trotes de cavalos e saiu correndo. Desta maneira, a mãe da criança, que estava a cavalo, olhou para o seu filho e para a bruxa caída no chão e disse: - Meu filho, ainda bem que você está vivo! Aposto que você foi salvo pelo poder dos sapatinhos vermelhos. Pois, a lenda diz que todo o recém-nascido que calçar um calçado carmim estará protegido do mal. Um alerta: apesar desta lenda tão velha, as tecedeiras de anjos continuam em nossa sociedade em pleno século vinte e um. Há traficantes especializados em roubar bebês recém-nascidos para serem usados em rituais de magia negra.

      Data/hora atual: Dom Ago 20, 2017 1:56 am